"Na vida cristã, se você quiser permanecer em pé, você precisa viver de joelhos"
Saule Luiz Pinheiro Goedert

Introdução às cinco linguagens do amor

As cinco linguagens do amor - Parte II

As cinco linguagens do amor - Parte III

As cinco linguagens do amor - Parte IV e V

Deus sempre está interessado na restauração do seu povo

Despedida do João Costa

Participação no Louvor no Congresso de Adolescentes na Congregação Vale da Bênção em Jonville - SC

Textos por Pb. Saule Luiz Pinheiro Goedert

2 de jul de 2011

PRESBÍTERO SAULE LUIZ PINHEIRO GOEDERT - RESUMO DO LIVRO "O HOMEM QUE ORAVA"

Conhecer John Hyde através deste livro, "O Homem Que Orava"de Francisco A. McGaw, me constrangeu à pelo menos, fazer uma reflexão sobre minha vida de oração. Isso me incomodou, pois o envolvimento que precisamos ter com o meio em que vivemos, nos suga de uma tal maneira, à ponto de nos convencer que não temos tempo para dedicar a oração da forma devida. Lembro que, tempo de qualidade não diz respeito direto com quantidade de tempo. Nos enganamos mais uma vez quando pensamos que, já que não temos muito tempo para ficar na presença de Deus orando, então perdemos pequenos momentos que, se bem aproveitados, poderiam transformar nossa vida de oração.

John Hyde, é um exemplo típico de alguém que fundamentou sua vida, seu chamado e ministério na oração e, isso só foi possível, mediante a muita renúncia, esforço e dedicação. As pessoas acreditam que porque oram pelas refeições, durante os cultos ou porque não matam e não roubam, que tem o direito de serem atendidas em suas petições mesquinhas e egoístas e, quando percebem que não são respondidas, fazem birra e esperneiam em protesto num infantilismo vicioso que não muda em nada a situação e tão pouco a sua maneira de viver.

Ter uma vida de oração, requer de nós uma postura decidida e disciplinada. John Hyde, "combinou"com Deus que O Senhor lhe desse uma alma por dia, mas isso não atendeu o seu desejo e afinco na necessidade que tinha de ganhar almas para o Reino. Foi então que ele decidiu mudar o "contrato" que havia feito com Deus, para que ganhasse três almas por dia, ao invés de apenas uma. Em um único dia, John Hyde, ganhou nove almas, quando teve um sonho na noite anterior recebendo uma visão de que estas almas seriam salvas.

Havia grandes eventos no campo de missão onde John Hyde trabalhava e, um deles, acontecia periodicamente. Em um desses eventos, pasmei quando pude tomar conhecimento de que ele ficou cerca de trinta dias em oração, para que Deus viesse a operar naquela reunião. Esse comportamento passou a ser um estilo de vida para ele. Orar, orar e orar. São pouquíssimas as pessoas que hoje se submetem a proposta de viver para orar. Olhando para os evangelhos, veremos Jesus retirando-se para os montes ou retirando-se à parte, para manter sua vida de oração. Passava noites inteiras orando e, pela manhã quando retornava, não se privava de ensinar e abençoar o povo, pois que o espreitavam por causa dos milagres que Ele realizava. Se quisermos ver milagres acontecer, precisamos orar mais!

Concluindo, John Hyde foi um homem que proporcionou muitos festejos no céu, pois a bíblia diz que quando alguém aceita a Jesus como seu salvador, há uma festa no céu. Cem mil almas! Este foi o número aproximado de vidas que foram resgatadas da escravidão do pecado e das garras do diabo, através de uma só pessoa. Isso é faze a vida valer à pena! Para que serve a nossa fina? Qual é o propósito de estarmos aqui? Até quando vamos continuar sendo influenciados negativamente, sem tomarmos uma atitude, desfrutarmos de uma metanóia para nossos tabus, paradigmas e preconceitos culturais e religiosos que limitam nossas metas e campo de atuação no Reino de Deus? Vamos adiante, o campo é vasto e largas são as suas fronteiras! Ultrapasse-as, começando pelas que se formam em sua mente. Uma alma por ano? Você é muito mais que isso, você consegue muito mais. É uma fraude se conformar com a idéia de um resultado como este, ganhando uma alma por ano, quando você pode ganhar uma alma por dia. Acreditar e esperar num crescimeno tão tímido, é o resultado do ensino que as pessoas recebem de ensinadores tímidos. Pessoas de influência no cenário eclesiástico que se acomodam quando sua igreja que tem cem membros, quinze obreiros, apresenta apenas um candidato por mês para descer as águas batismais. Deus está procurando homens e mulheres que tenham ousadia e coragem para ir além. Enquanto crescemos modesta e timidamente, o diabo está arrastando vidas às centenas e aos milhares para o inferno. O que você irá fazer para mudar isso? Você é responsável por aqueles que estão à sua volta, no que diz respeito a salvação. À propósito, você já falou do amor de Jesus para alguém hoje? Sugiro que você inclua na sua lista de leitura, este pequeno livreto que conta a história da vida de John Hyde, "O Homem Que Orava" de Francisco A. McGaw e tenho certeza que o seu conceito de vida de oração e crescimento do Reino de Deus, nunca mais serão os mesmos.

Breve Comentário do Presbítero

Saule Luiz Pinheiro Goedert

Sobre o Livro

"O Homem Que Orava" de Francisco A. McGaw

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você Poderá Gostar Também de: