"Na vida cristã, se você quiser permanecer em pé, você precisa viver de joelhos"
Saule Luiz Pinheiro Goedert

Introdução às cinco linguagens do amor

As cinco linguagens do amor - Parte II

As cinco linguagens do amor - Parte III

As cinco linguagens do amor - Parte IV e V

Deus sempre está interessado na restauração do seu povo

Despedida do João Costa

Participação no Louvor no Congresso de Adolescentes na Congregação Vale da Bênção em Jonville - SC

Textos por Pb. Saule Luiz Pinheiro Goedert

18 de mai de 2011

CULTO DE EDIFICAÇÃO CRISTÃ – ESTUDO DAS BEM-AVENTURANÇAS

Terça, dia 17 de maio de 2011, continuamos o estudo das bem-aventuranças com o Pastor Luiz Donizetti, ouvindo o mesmo falar sobre Mateus 5. 5, onde encontramos a mansidão como adjetivo principal para mensagem. Iniciando seu comentário, disse que a mansidão é uma coisa que parece que se perdeu em nossa cultura. Paulo usa uma expressão em Gálatas 5, referindo-se a mansidão como parte integrante do fruto do Espírito. O fruto do Espírito contribui muito para melhorar o caráter cristão. Existe um apelo desenfreado na busca pelos dons do Espírito, mas muito mais do que reverenciarmos o centenário da Igreja Evangélica Assembléia de Deus no Brasil, deve ser a preocupação de ter além dos dons, o fruto do Espírito Santo. Você pode chegar ao céu sem ter possuído os dons espirituais, mas não sem ter o fruto do Espírito. A mansidão é parte integrante do caráter daquele que serve a Deus. Gostaria, diz o Pastor, que os irmãos não se associassem ao padrão e conduta que são ditadas pela sociedade atual, pois as coisas mais baixas são as que têm a maior evidência para o mundo corrompido de hoje. Enquanto para o mundo as pessoas mansas são tidas como fracas, Jesus continua dizendo que fortes são os mansos. A mansidão no Novo Testamento é definida como algo que vai além de uma atitude puramente emocional. A emoção, porém, depende muito mais do nosso interior. Mateus 11.29 diz, aprendei de mim que sou manso e humilde de coração. Para os psicólogos a mansidão é o resultado da decisão de uma pessoa consciente e confiante em Deus. A mansidão estreita o relacionamento com Deus e com o próximo. Quem é manso tem maior intimidade com Deus.

Em continuação diz o Pastor, sugiro que você agregue à sua lista de prioridades na sua vida, a busca pela mansidão. Definindo o que é ser manso: 1 – Não se orgulhar de si mesmo. O profeta Ezequiel no capítulo 28 descreve o que é ser orgulhoso. Aquele que se orgulha tem traços com Satanás; 2 – Sentir que em si mesmo nenhuma coisa existe em que se possa gabar. Quem é manso, consegue ver a glória de Cristo em si. Paulo disse: “Não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim”; 3 – Não exigir coisa alguma para si mesmo.


Vimos na sequência, os modelos de mansidão na Bíblia. Antes de chegar a Jesus observaremos no Antigo Testamento alguns personagens. Em Gênesis 13. 8,9 temos Abraão, considerado amigo de Deus. No relacionamento familiar que estava comprometido por conta do espaço e da riqueza, Abraão disse que não deveria haver contenda entre eles, pois constituíam uma família, eram irmãos. Ele poderia usar sua autoridade. Quem é manso sabe que não terá prejuízo em nada. Os mansos reconhecem sempre o desejo dos outros, superior ao seu próprio. Se formos mansos venceremos. Gênesis 4. 5, fala sobre José. O Pastor Luiz Donizeti fez referências lembrando-se da Escola Bíblica Dominical que, em outros tempos, não havia nem retroprojetor, usava-se o flanelógrafo, mas foi lá que ele aprendeu a história de José do Egito. Jogaram-no na cova, foi tido como morto. Execraram José, mas quem se humilha Deus exalta. Da cova ele sentou-se no trono, e quando a fome chegou, os seus irmãos vieram até ele. Quando os viu, ele chorou. Não chorou de raiva, mas sim porque tinha muita saudade. Seu amor não havia apagado. Antes de lhe pedirem perdão ele já havia lhes perdoado.


Números 12. 3, temos Moisés, amigo de Deus que é considerado um homem muito manso. Em Êxodo 32. 19,20, vimos o povo criando um bezerro de ouro para adorar, mas Moisés moeu o bezerro, derreteu-o e pôs na água obrigando o povo a beber. Nas atitudes decisivas, Moisés foi corajoso e firme. Mansidão, não é omissão ou sinônimo de caráter aguado. Não significa ser uma ameba, sem estrutura que lhe proporcione estar de pé. Moisés teve três períodos no seu ministério. Primeiro período foi o teórico que durou em torno de 40 anos, aprendendo toda sorte de ciências no Egito. Estágio foi o segundo período que significa concluir a teoria para entrar na prática e, o terceiro e último período que foi a prática em si. Moisés agiu de forma intempestiva contra o egípcio, matando-o para defender o seu povo. Isto fazia parte do propósito de Deus, que alguém demonstrasse atitude de defesa com relação ao seu povo. Em nenhum momento, vemos Deus condenando a atitude de Moisés neste cenário. Não houve reprovação divina para esta atitude de Moisés. Seja manso, diz o Pastor, mas não seja omisso, tenha equilíbrio, postura.

Jesus foi o homem mais manso que existiu. Certo dia os acusadores chegaram perante Ele, com a mulher adúltera. A postura do mestre não mudou com a presença daquelas pessoas. Ele continuou exatamente da maneira que estava antes da chegada deles, mas eles insistiram para ver o que haveria de ser feito com aquela mulher. Jesus respondendo disse, que aquele que não tivesse pecado, que atirasse a primeira pedra e, logo voltou para a mesma posição que se encontrava no começo, escrevendo com seu dedo no chão. Ele não foi arrogante com esta atitude, apenas não se dobrava as pressões que lhe eram propostas. Ele não se rendia pelas aparências. O Pastor diz que os acusadores são como a tiririca, que você corta numa semana e na outra elas já estão novamente lá.

Em outro cenário, Jesus entra no Templo e vê Sua casa sendo transtornada, corrompida. Naquela hora Ele fez uso de um azorrague e também virou as mesas com indignação diante do que via. Não se deixava influenciar por nada, mesmo sendo o homem mais manso que já existiu.

A mansidão deve ser buscada. No livro de Sofonias 2. 3 fala-se sobre o dia da ira, dia do juízo. Nesse dia, os mansos gozarão de proteção. A mansidão é tão importante que se precisa dela até mesmo para ouvir alguém falar. Isso só consegue quem tem mansidão. Tiago 1. 21 fala em acolher com mansidão como algo necessário. Mansidão pode ser traduzida como humildade.

Concluindo a mensagem, o Pastor relatou que a Bíblia diz que devemos dar graças a Deus em tudo. Precisamos voltar a glorificar a Deus com nossa mansidão. Não confundam mansidão com omissão e fraqueza de caráter. A mansidão deve ser acompanhada de coragem. Bem aventurados são os mansos, porque eles herdarão a terra.


Resumo da Mensagem ministrada no Culto de Edificação Cristã por


Pastor Luiz Donizetti


Congregação do João Costa



Distrito XXIII

4 comentários:

  1. "Não confundam mansidão com omissão e fraqueza de caráter. A mansidão deve ser acompanhada de coragem".

    Muito bom! Que a Luz da Palavra ilumine as trevas do nosso coração!

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz Pb. Mário,

    Sempre muito bom ter você por aqui. Obrigado pela soma de seu comentário.

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  3. "Descansa no SENHOR, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos.
    Deixa a ira, e abandona o furor; não te indignes de forma alguma para fazer o mal.
    Porque os malfeitores serão desarraigados; mas aqueles que esperam no SENHOR herdarão a terra.
    Pois ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olharás para o seu lugar, e não aparecerá.
    Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz." Salmo 37. 7 ao 11

    É uma benção termos liberdade para poder estudar a palavra de Deus.

    ResponderExcluir
  4. Graça e Paz Thiago,

    Obrigado pela seu comentário e participação.

    Que Deus continue lhe abençoando.

    ResponderExcluir

Você Poderá Gostar Também de: