"Na vida cristã, se você quiser permanecer em pé, você precisa viver de joelhos"
Saule Luiz Pinheiro Goedert

Introdução às cinco linguagens do amor

As cinco linguagens do amor - Parte II

As cinco linguagens do amor - Parte III

As cinco linguagens do amor - Parte IV e V

Deus sempre está interessado na restauração do seu povo

Despedida do João Costa

Participação no Louvor no Congresso de Adolescentes na Congregação Vale da Bênção em Jonville - SC

Textos por Pb. Saule Luiz Pinheiro Goedert

17 de mai de 2011

CULTO DA FAMÍLIA (DOMINGO 15/05/2011)

No último culto da família, tivemos a oportunidade de ouvir o Presbítero Luís Steill, que está congregando atualmente conosco. O mesmo trouxe-nos uma meditação usando o texto do Evangelista Lucas 7. 11-17, relatando “A ida de Jesus a uma cidade chamada Naim”. Disse que os discípulos seguiam a Jesus, que a cidade localizava-se cerca de 10 km de Nazaré, e que esta terra era uma terra conhecedora de muitos milagres, exemplificando o realizado pelo profeta Elias na ocasião que envolvia a viúva de Sarepta e a ressurreição de seu filho e o milagre realizado pelo profeta Elizeu ressuscitando o filho da sunamita. Enfatizou que a multidão que estava com Jesus via os seus milagres acontecerem. Pessoas sendo libertas e curadas.



Ninguém segue a Jesus se não tiver alguma motivação para fazê-lo. Só segue a Jesus, quem tem experiência com Ele. Aquele que contemplou Cristo realizando algo especial na sua vida e, é por isso que as pessoas O seguem. Precisamos ter experiência com Jesus. Muitas pessoas desistem de segui-lo por falta de experiência. Relatou que não é obreiro na casa do Senhor apenas por ouvir falar de Jesus, mas sim, pelas realizações que Ele tem feito na sua vida e na vida da sua família.



Disse que Lucas, trás uma revelação de Jesus como Salvador. Citou do primeiro milagre realizado por Jesus em Caná da Galiléia, dizendo que o mestre concede alegria ao seu povo, não desconsiderando que no mundo teríamos aflições (Jo 16.33), lembrando-nos também de Habacuque e do seu pronunciamento, onde diz, “contudo eu me alegrarei no Senhor”.



Relatou de muitas pessoas que estão impossibilitadas de freqüentarem os cultos, pois estão enfermas, acamadas, diferente de nós que temos a oportunidade de estar na casa do Senhor, louvando e glorificando o Seu nome. Devemos ser gratos a Ele por isso. Jesus dá saúde, não enfermidade! Ele mesmo curou o paralítico que estava próximo ao tanque de Betesda. Já havia 38 anos que esperava alguém para que o levasse às águas no momento em que elas se agitavam para ser curado de sua enfermidade. Jesus traz a vida e não a morte! Ele mesmo deu a vida àquela menina, filha de Jairo, chefe na sinagoga. Em suas palavras, o Presbítero Luís Steill, disse que ainda assim, existem pessoas que não querem fazer parte desta multidão, a multidão que contempla e participa dos milagres realizados por Jesus.



Em sequência, citou o versículo 12, que diz que Jesus chegou perto da porta da cidade, e vinha de encontro a Ele e aos que com Ele estavam, outra multidão, que trazia consigo um moço que estava sendo levado para ser enterrado. Com eles, estava sua mãe, mulher viúva, que viu sua vida se acabar, perdendo seu filho, sua expectativa e suas esperanças, pois talvez a única pessoa que lhe havia restado para lhe prestar qualquer tipo de auxílio, agora já não vivia mais. Enquanto a multidão que vinha com Jesus, trazia alegria, a outra multidão trazia tristeza. Jesus vinha caminhando trazendo vida e ao seu encontro traziam-lhe a morte. O mais importante é que, contudo, a multidão da tristeza e da morte, estava indo ao encontro do dono da vida e da alegria. Jesus vendo isso se compadeceu muito da situação da viúva, movendo-se de íntima compaixão. Tocando no esquife, disse não chores.



O Presbítero Luís Steill, disse que Lucas queria apresentar Jesus, como dono da vida. Questionou aos ouvintes, se pensavam que Deus não se compadecia de suas dores e dificuldades e se Deus não os via. Citou a fé daquele homem que necessitava da intervenção de Jesus para a cura de uma pessoa querida, quando Jesus parou para lhe ouvir e ele disse que apenas uma palavra do mestre era suficiente para que o milagre acontecesse. Jesus, ouvindo isso disse que nem em Israel tinha visto tamanha fé semelhante à daquele homem.



Logo, quando Jesus tocou no esquife, disse: “Levanta-te!” Isso relata uma palavra de ordem. Significa que Jesus passa por cima dos protocolos humanos. Segundo o preletor, ao tocar no esquife Ele estaria passivo de contaminação segundo as leis da época. Mas o mestre não se limitou aos conceitos humanos e foi além.



Concluindo a mensagem, relatou que o moço se levantou, sentou-se e falou. Na sua fala, muito possivelmente, o jovem com muita alegria, glorificou, louvou e adorou o nome do Senhor. O preletor questionou aos ouvintes se eles glorificavam devidamente a Deus e se realmente eram um milagre de Deus. Na sua apresentação, disse que aquela multidão que estava com Jesus, disseram que um grande profeta havia se levantado naquele lugar, pois contemplaram um maravilhoso milagre realizado por Jesus. Finalizando, perguntou qual era a multidão que estávamos fazendo parte, se a multidão que estava com Jesus ou a multidão que caminhava com a morte. Disse que existem muitos cristãos em cima do muro, que não tem experiências com o Senhor e que precisam se decidir em caminhar definitivamente com Jesus.



Resumo da Mensagem ministrada no Culto da Família por



Presbítero Luís Steill



Congregação do João Costa


Distrito XXIII

2 comentários:

  1. Eu fico imaginando a situação daquela mulher, viuva e logo em seguida perdendo seu filho. E Jesus chega perante aquela multidão e diz apenas não chores. É por isso que eu amo Jesus, ele é demais e sua forma de agir é perfeita.

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz Deive,

    Que bom ter você por aqui e obter a soma de seu comentário! Realmente a atuação de Jesus em nossa vida é extraordinária.

    Grande abraço e seja sempre bem vindo.

    ResponderExcluir

Você Poderá Gostar Também de: