"Na vida cristã, se você quiser permanecer em pé, você precisa viver de joelhos"
Saule Luiz Pinheiro Goedert

Introdução às cinco linguagens do amor

As cinco linguagens do amor - Parte II

As cinco linguagens do amor - Parte III

As cinco linguagens do amor - Parte IV e V

Deus sempre está interessado na restauração do seu povo

Despedida do João Costa

Participação no Louvor no Congresso de Adolescentes na Congregação Vale da Bênção em Jonville - SC

Textos por Pb. Saule Luiz Pinheiro Goedert

18 de set de 2011

PRESBÍTERO SAULE LUIZ PINHEIRO GOEDERT - CONVENCIDOS PELO ESPÍRITO SANTO A PREGAR O AMOR DE JESUS

No dia 10 de julho de 2011, estivemos participando de um abençoadíssimo culto de missões na congregação distrital do Jardim Edilene, com o Pastor Luiz Severo, a convite do meu amigo Manoel e do irmão João, coordenador do departamento de missões. Para nós constituiu-se uma grande alegria conhecer mais um de nossos belíssimos templos da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Joinville. Na verdade, fui grandemente contagiado pelo excelente nível de espiritualidade e receptividade desta querida igreja. Sem intenção de fazer uso da hipocrisia, digo que a sede distrital do Jardim Edilene é sem dúvida, uma das melhores igrejas da zona sul da cidade, com músicos comprometidos com a adoração a Deus, departamentos que louvam com unção e acima de tudo, uma liderança influente, ativa e com visão de Reino.

Seguidamente pretendemos apresentar uma dissertação da mensagem pregada na noite deste dia.

Como texto base usamos a referência de Atos dos Apóstolos 1. 8, que diz: " 18 Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra." Inicialmente citamos a ascenção de Jesus aos céus após o cumprimento de sua missão e de seu chamado. Dizendo isto, podemos deduzir que para subir, para ser elevado ou crescer em qualquer área de nossa vida, precisamos cumprir bem, primeiramente, o que nos foi posto como missão. Não há crescimento sem disciplina e dedicação. Na parábola dos dez talentos, relatada em Mateus 25. 23, onde se lê: " 23 Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor", vimos que vale a pena ser fiel em todas as circunstâncias de nossa vida, pois a justiça de Deus sempre há de se manifestar, tanto em nossa fidelidade quanto infidelidade.

Em Atos 2. 37-47, encontramos as primeiras conversões compostas de mais de 3 mil almas. Isso aconteceu após um simples, mas poderoso, sermão realizado por um dos primeiros discípulos chamados por Jesus, Pedro. Mas o grande segredo para o sucesso e a expansão do evangelho, encontra-se em Atos dos Apóstolos 2. 42, onde lemos: " 42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações." Quando lemos " e perseveravam na doutrina dos Apóstolos", identificamos uma atitude de obediência. Para que o evangelho cresça através de nós, é necessário obediência. Aqui começa portanto, um dos maiores obstáculos aos mais imponentes, que se dizem chamados por Deus, que temem a Ele e obedecem somente a Ele. É impossível andar em obediência com Deus enquanto se usa de rebeldia contra o pastor ou ministério no qual pertencemos. Para obedecermos a Deus, precisamos primeiro obedecer as autoridades eclesiásticas, respeitando e submetendo-se as orientações e visão de reino de nosso pastor, ainda que você discorde do ponto de vista dele. Isso não quer dizer que você vai aceitar atitudes que o induzam a pecar ou que vão contra a palavra de Deus.

Segundo ponto que colaborou para o crescimento e expansão do evangelho na igreja de Atos dos Apóstolos foi a "comunhão". Isto significa que eles tinham todas as coisas em comum. Comunhão ou Koinonia como propõe o texto citado, fala de compartilhar, uniformidade, associação próxima, parceria, participação, sociedade, companheirismo. A Koinonia une os crentes a Jesus e uns aos outros. Portanto, se o Espírito Santo não tiver recebendo liberdade de atuar em nossa vida através da comunhão, não estamos unidos no Senhor, muito menos aos nossos irmãos. A comunhão torna-se enfraquecida pelo egoísmo, individualismo, por pessoas que buscam crescimento espiritual e ministerial as custas de outros, pela contrariedade as orientações pastorais e uma série de outras questões mesquinhas que tratam apenas de uma satisfação e realização de seus próprios desejos e anseios que, são basicamente carnais. Porém quem recebe continuamente a virtude do Espírito Santo, vive em comunhão com Deus e com seus irmãos, e é convencido a pregar o amor de Jesus.

Os discípulos tiveram sucesso no empreendimento de ampliação do evangelho em terceiro lugar, pela prática de "repartir o pão". Significa que se quisermos que o reino cresça, precisamos alimentar as pessoas fisicamente, provêr assistência material e social aos menos favorecidos. Não basta apenas, colocar as mãos sobre a cabeça de alguém que está faminto ou com frio e sede, orar por ele e despedi-lo sem provisão física. A parábola do Bom Samaritano nos traz um excelente exemplo disso. Enquanto alguns passam diante da necessidade e cerram os olhos enganando-se a si mesmos, outros estão dispostos a dedicar tempo, esforço, dinheiro e comprometerem-se para a evolução e transformação do necessitado. Sabemos que biblicamente, conforme referência de Tiago 4. 17, aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado. A bíblia não diz "aquele que pode" mas "aquele que sabe" fazer o bem. Todos nós sabemos fazer o bem, trata-se apenas de uma questão de escolha. Fazemos o bem ou fazemos o mal e muitas vezes o não fazer nada, ficar estagnado, sem atitude diante da injustiça e prática de intolerância ou de qualquer situação que tenhamos conhecimento do que é certo ou errado e não tomar posição de causa, torna-nos tão culpados quanto se tivessemos praticando o mal.

Tenha uma postura definida, autêntica e acima de tudo com fundamentos abalisados nos princípios morais do verdadeiro cristianismo que prega o amor como o sentimento e mandamento mais profundo do Evangelho de Cristo.

Continuamos a observar os motivos que revelam o sucesso da igreja de Atos dos Apóstolos e encontramos em quarto e último lugar o motivo para esse resultado. "E perseveravam nas orações". Isso fala de alimento espiritual. Não há crescimento nem expansão do reino sem oração. Vivemos nos tempos da "geração microondas", onde tudo o que passar de três minutos de espera, gera inquietação e impaciência. Não sabemos mais esperar pelas coisas, temos que obter tudo na hora, pronto. Na oração, não é assim que as coisas funcionam.

Olhamos para o profeta Daniel e percebemos que quando ele se pôs a buscar a Deus, de imediato Deus o respondeu, mas no céu foi travada uma batalha espiritual que impedia de o Anjo do Senhor trazer a resposta a Daniel, o que levou ele a permanecer vinte e um dias em oração até que por fim, os anjos do Senhor venceram as potestades e principados nas regiões celestias e chegaram até Daniel.

Muitas pessoas, especialmente os homens, que são os grandes responsáveis pela saúde espiritual de sua família, perderam o desejo e a vontade de buscarem a Deus em oração. Sempre arruma-se uma desculpa esfarrapada, como o cansaço, um compromisso mais importante, uma partida de futebol, um "filmezinho" e por aí vai. Desculpas, desculpas e mais desculpas. Deus busca homens que, no mínimo, tenham a coragem de reconhecer suas fraquezas e vulnerabilidades para através do arrependimento e quebrantamento de espírito recebam seu perdão e sejam fortalecidos Nele, através da oração.

Não existe outro caminho para o crescimento e sucesso espiritual, tanto da igreja como pessoal, se não for pela escada da oração.

Chama-me muito a atenção, quando leio nas páginas dos evangelhos, a rotina de Jesus nos tempos em que viveu conosco. Ele não era diferente de nós no que diz respeito a sua humanidade, tampouco dotado de "super-poderes" que o faziam cheio de força e vigor para suportar o cansaço físico e mental no qual frequentemente era acometido. Vejo Jesus subindo os montes para orar a Deus durante a noite e pela manhã, ao invés de ir para sua casa dormir e descansar, Ele percorria o caminho que lhe conduziria até a sinagoga. Não é de se admirar que em meio a uma forte tempestade, a ponto de um barco quase ir à pique, Jesus encontra-se "ferrado" em um profundo sono, pois passava noites em claro, orando a Deus. Portanto pergunto, se Ele sabendo de onde veio, buscava a Deus em constante oração, por que é que nós, sabendo para onde vamos, não levantamos do sofá da sala ou da frente do computador para buscar-mos a face de Deus com um pouco mais de responsabilidade e comprometimento? O que impede você de tomar uma atitude diferente e parar de ficar na platéia observando o diabo avançando sobre sua família, invadindo seu território sem fazer absolutamente nada? Trate de mudar sua ótica e comece a enxergar as coisas com mais discernimento, tornando-se um homem mais espiritual e menos carnal! Saiba que isso só é possível para aqueles que oram.

No capítulo 3 do livro de Atos dos Apóstolos, vimos Pedro e João indo em direção a porta do templo chamada Formosa. Como todos devem saber, ali permanecia um homem que era aleijado e pedinte de esmola. Costumeiramente, ao chegar perto dele os dois homens, penso eu, que ele estendendo as mãos disse algo como "uma moeda, por favor!" Pedro tomando a palavra, disse uma coisa que mudou completamente a vida daquele homem: " Nós não temos prata e nem ouro, mas o que eu tenho eu lhe dou, em nome de Jesus, o nazareno, levanta-te e anda". Então pegando nas mão do coxo, Pedro ajudou-lhe a se colocar de pé e ele foi curado imediatamente e começou a saltar e a correr testificando do milagre que acabara de receber.

O que podemos ver com essa descrição? Pedro, ao dizer que não tinham nenhum dinheiro consigo, estava falando a coisa certa. Mas, quando Pedro disse "o que eu tenho eu te dou", ele estava falando daquilo que ele propriamente tinha, pois ele só poderia falar de si mesmo nesta circunstância. Pedro deu aquilo que ele tinha, que era a unção poderosa da cura para aquele coxo. Ele não poderia falar de João, porque não sabia o que João poderia oferecer ao coxo a não ser que ele próprio o declarasse.

Cada um dá aquilo que possui. Se você tem pouco, você dá pouco; se você tem muito, você dá do que você tem. Como é que alguém que não ora, não lê a palavra de Deus, não leva uma vida de renúncia constante quanto as concupsciências deste mundo, vai oferecer algo de transformador para outra pessoa ou algo que faça com que ela mude de atitude e tenha sua vida restaurada? É preciso maior comprometimento com Deus e com sua palavra se quisermos oferecer aos outros algo que mude a vida deles. Se você quiser continuar na mesmice, é só não se mover, permanecer estático e sua colheita será abundante, cheia de espinhos e abrolhos, pois até os que não plantam acabam colhendo por causa da sua negligência. Abandonemos o comodismo e passemos a ser pessoas movidas pelo poder transformador do Espírito Santo.

Sabe o que aconteceu com Pedro e João após a cura do aleijado? Você acha que o ibope deles cresceu? Na verdade cresceu e cresceu muito, mas eles não foram levados pelos jornalistas a nenhum canal famoso de televisão ou qualquer outro tipo de meio de comunicação que os tornasse "popstars" ou grandes celebridades. Por fazerem o bem, eles foram parar na cadeia.

Algumas pessoas, quando são perseguidas ou afrontadas, param imediatamente de anunciar o amor de Cristo porque não estão completamente convencidas e cheias do Espírito Santo. Uma vez que nos mantivermos em comunhão constante com Deus e Seu Espírito, nada pode nos parar, nem mesmo a prisão pois se necessário for, o poder libertador de Deus, assim como em Atos 5. 17, nos arrebatará da prisão ou qualquer circunstância embarasosa que comprometa nossa atuação sincera na labuta em prol do crescimento do reino, para que nossa missão seja concluída: ganhar almas para O Senhor.

Atos 5. 42 diz que todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar Jesus ao povo. Por que isso? Porque estavam convencidos pelo poder do Espírito Santo de propagar o evangelho de Cristo.

No capítulo 6. 3 temos a instituição dos diáconos. Alguns dos pré-requisitos para se tornar um diácono era ser cheio do Espírito Santo e de sabedoria. Enquanto os diáconos exerciam seu papel com amor e dedicação, os apóstolos perseveravam na oração e no ministério da palavra.

Atos 6. 8 em diante, nos revela uma personagem bastante conhecida, chamada Estêvão. Este homem, induzido pelo Espírito Santo, estava sendo confrontado por algumas pessoas que certamente tinham inveja do seu ministério e da maneira como Deus o usava. Finalmente, os impiedosos conseguiram matar Estêvão, porém não conseguiram roubar do seu coração a certeza e a convicção do seu chamado. Por isso digo, nunca perca a convicção do seu chamado. Por mais que persigam você ou lhe caluniem por estar envolvido na obra de Deus, ganhando almas, arrebanhando pessoas distantes, não desista. Saiba que Deus é o seu escudo e sua defesa. Quando alguém jogar pedras em você, ao invés de revida-lo ou tentar usar de vingança contra aqueles que lhe perseguem, faça como Estêvão que, enquanto recebia pedradas daqueles homens revoltados e possuídos pela raiva e pelo ódio, se prostava no chão de joelhos elevando seus olhos aos céus. Essa é a melhor maneira de não perdermos o foco de Cristo, permanecendo com os joelhos no chão e com os olhos voltados para o céu.

Mensagem Pregada Pelo

Presbítero Saule Luiz Pinheiro Goedert

Na Congregação Sede Do Distrito Do Jardim Edilene

No Culto De Missões

8 comentários:

  1. Que benção!!!
    Gostaria de aproveitar o momento para lhe passar o endereço do Blog da Igreja do João Costa.
    ieadjc.blogspot.com
    A Paz do Senhor

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz Thiago,

    Obrigado por compartilhar o link do blog de nossa igreja conosco.

    Seus comentários são sempre bem vindos em nosso blog.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. BENÇÃO MANO!!!

    que e o Espirito Santo
    continue lhe dando graça
    e expiração!

    DEUS TE ABENÇOE!

    ResponderExcluir
  4. Gostei dos temas abordados, realmente foi uma palavra impactante. Tenho certeza que a igreja foi abençoada, pois quando se trata da palavra de Deus é sempre muito bom ouvir ou ler a respeito das coisas do Divino.


    Abraços meu amigo Pb. Saule, paz.

    ResponderExcluir
  5. Graça e Paz Presbítero Sandro,

    Que bom sua consideração e a soma de seus comentários no blog Rabiscos. Sempre fico feliz quando você passa por aqui. Desejo que as palavras que têm sido colocadas em nosso coração pelo Espírito do Senhor, possam edificar a vida de todos aqueles que se dispõem a ler nossas postagens.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Graça e Paz meu amigo Deive Leonardo,

    Obrigado por passar por aqui e contribuir para o embelezamento de nosso blog através de seus comentários. Desejo que você continue usando todo o seu potencial em função do crescimento do Reino.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Pb. Saule, é uma preciosidade os artigos postado, são edificantes, mensagens que nos auxiliarão na caminhada. Deus lhe abençoe!

    ResponderExcluir
  8. Graça e Paz Presbítero Luís Steil,

    Que alegria recebe-lo por aqui, será um prazer tê-lo sempre entre nós. Seja bem vindo e obrigado pela palavra de incentivo.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir

Você Poderá Gostar Também de: